Negócios e Decisões guiados por dados

É apenas uma questão de tempo para a análise de dados se tornar um conhecimento empregado por todos os gestores e empreendedores em seus negócios. Isso não importando o tamanho ou segmento em questão. Usar as próprias informações para planejamentos e decisões é um caminho sem volta para a conquista de novos e melhores resultados. 

 

 

Não se trata de uma tendência ou um modismo, mas uma técnica indispensável. Numa pesquisa realizada pela Opinion Box, é mostrado que 57% dos gestores e líderes empresariais brasileiros veem que a estratégia da instituição deles precisa ser direcionada por dados.  

 

Para que uma estratégia seja inteligente ao guiar negócios e decisões, é necessário que as equipes de analistas e cientistas de dados sejam alvo não só de investimentos, mas também de um posicionamento-chave na empresa. Com esta premissa, os resultados e aplicações só tendem a aumentar.

 

NOS BANCOS OU NOS CARROS: NEGÓCIOS E DECISÕES GUIADAS POR DADOS 

“Nunca tivemos outra escolha senão ser uma empresa ‘data-driven’”, disse a porta-voz do Nubank, Catarina Cicarelli, em entrevista a uma reportagem da revista Exame. A equipe de Ciência de Dados desta fintech é importantíssima para toda a estratégia da empresa. 

 

As demandas que chegam para este grupo são resolvidas em três etapas “clássicas” da Ciência de Dados: Investigar o Problema, Coletar e tratar dados; Criar e testar modelos. Essa fórmula já foi usada em cases de

 

  • Atendimento ao cliente, 
  • Otimizar a satisfação do cliente e diminuir risco para empresa
  • Detecção de fraudes
  • Lançamento da NuConta

 

 

Estes são apenas alguns exemplos de como o Nubank utiliza esse conhecimento. Certamente, as aplicações aumentaram e se diversificaram – afinal, a empresa não para de crescer. Na verdade, muitos players do mercado financeiro têm conquistado resultados melhores aplicando a ciência de dados

 

Claro, todos os setores também podem se beneficiar cada vez mais e já estão com novos serviços ou até mesmo produtos que se originaram pelo e estão intrinsecamente ligados ao conhecimento gerado por dados. Por exemplo, os carros mais modernos já vêm equipados com tecnologias que permitem a captura de informações. Mas estes dados não ficam com os usuários e vão direto para as montadoras.

 

Obviamente, isto levanta várias questões relacionadas à privacidade dos motoristas. Só independentemente disso, segundo a McKinsey, o mercado de dados oriundos de carros pode movimentar em torno de 750 bilhões de dólares até 2030. Ou seja, alguma forma esse negócio vai tomar e as possibilidades de aplicação nos farão pensar como que essas informações mudarão o negócio e ajudarão a melhorar produtos e serviços oferecidos.

 

 

Uma aplicação que já existe quanto a carros é o uso das informações de direção de um motorista no cálculo do valor a ser pago no seguro do veículo. Apesar de algo ainda não tradicional no Brasil, é a grande tendência do mercado. Chamado de “Pay How You Drive”, o formato premia motoristas mais cuidadosos com desconto e planos personalizados.

 

APRENDIZADOS PARA SE GUIAR POR DADOS

Na Finlândia, havia um programa de 14 semanas chamado DOB, cujo objetivo era treinar equipes de empresas do país a usarem inovação e a análise de dados em seus negócios. Alguns dos aprendizados do grupo foram:

 

  • Amar o problema, não a solução
  • Montar a equipe certa – junto ao cliente
  • Abraçar todos os atores, grandes e pequenos
  • Reconhecer que problemas sistêmicos precisam de soluções sistêmicas
  • Ajudar e não vender
  • Fracassar rapidamente, mas celebrar o sucesso

 

Ao final do ciclo, 58% das empresas participantes lançaram um novo produto ou serviço com base no aprendizado. É um número certamente expressivo. Isso reflete o quanto investir em uma estratégia guiada por dados pode ajudar um negócio. 

 

Mas para se começar a fazer uma estratégia guiada por dados, é necessário, em primeiro lugar, criar uma cultura de dados internamente. Essa postura, inclusive, foi reforçada como prática necessária na palestra Data Driven: inteligência de negócios através do Big Data” do Startup Summit 2019. Somente com pessoas preparadas, é que os processos e sistemas poderão se mostrar efetivamente eficientes. 

 

Por conta disso, a BIX Tecnologia desenvolveu um curso de Análise e Cultura de Dados. Ele possui uma ementa planejada para explorar os tópicos mais importantes dessa temática e fornecer o conhecimento necessário para que cada aluno(a) possa aplicar o que foi ensinado em seu trabalho.

 

 

 Entusiastas da temática, profissionais de TI e tomadores de decisão (gestores e diretores) encontrarão meios para que consigam dar início a uma cultura de dados em suas empresas. Fora isso, também será falado sobre tópicos como: 

 

  • Conceito essenciais – por exemplo, Big Data e comparação sistêmica
  • Análise de Dados aplicada
  • Storytelling e solução de problemas com dados

 

Uma forma de se ter acesso a este conteúdo é via Campus BIX, nossa plataforma própria de EaD. Nele, você tem acesso ao conteúdo em vídeo, com exercícios, possibilidade de tirar dúvidas, certificado on-line e uma hora de call com um consultor da BIX para conversar sobre questões específicas de seu negócio/carreira e tirar insights riquíssimos. Inscreva-se aqui!

 

Agora, se você é uma pessoa que não gosta muito deste formato de ensino, não se preocupe. Também ofertamos uma outra versão deste treinamento. Nela, a ementa é muito mais personalizada, pensada nos alunos que participarão, e há a possibilidade de sinergia e networking com outros colegas de turma. Confira aqui o nosso calendário de eventos e, caso você queira conversar sobre uma nova data ou pacote para o curso de Análise e Cultura de Dados, entre em contato conosco

 

Já adiantando um pouquinho dos conteúdos que são apresentados no curso, alguns dos passos necessários para implementar uma cultura de dados são:

 

  • No projeto, envolver tomadores de decisão de nível C e profissionais dos mais diversos setores de sua empresa (marketing, vendas, produto, etc)
  • Ter objetivos e metas claros para os projetos que forem desenvolvidos
  • Montar uma base de dados confíavel e de qualidade

 

Sobre o último ponto, fizemos um webinar sobre “Qualidade de Dados e os ganhos para a Organização”. Falamos sobre os impactos da confiabilidade das informações, como garantir a qualidade nas fontes de dados e unificar indicadores. Veja abaixo o conteúdo na íntegra:

 

 

Se a agilidade se fizer necessária na implementação da estratégias de dados, talvez treinar a equipe leve mais tempo do que o desejado para começar a se conquistar resultados. Por outro lado, contratar novos profissionais para o grupo é bastante arriscado e, potencialmente, demorado de forma similar – afinal, são talentos muito específicos que estão sendo bastante cobiçados.

 

Neste cenário e/ou quando se busca a experiência na área, método comprovado e visão necessária, a contratação de uma consultoria é a mais eficiente solução. A BIX Tecnologia, em seus primeiros 6 anos, já desenvolveu mais de 300 projetos e chegou a 50.000 horas de consultoria prestadas. Se quiser conhecer mais sobre as vantagens e os caminhos para a sua empresa começar a extrair valor de seus dados e conquistar resultados melhores, entre em contato conosco!